segunda-feira, 30 de março de 2009

Nunca uma folha em branco me disse tanto
Sobre como palavrinhas combinadas
Com riso ou com pranto
Me fazem mesmo é cerrar o punho
Fazer rascunhos de mim mesmo
E nunca publicar
Talvez, eu mesmo, só me saiba em rabiscos
Feito música feita em apitos
Um esboço de qualquer coisa
Que se entende ter certa beleza
Mas passa longe da certeza
Do vislumbre dos olhos do coração

Um comentário:

  1. Palavrinhas agridoces e muito bem colocadas.
    Meu poeta preferido.

    ResponderExcluir